sábado, 27 de outubro de 2007

Para se divertir no final de semana...



Oi gente,

Nos finais de semana eu quero relaxar na minha praia, não dou aula, não faço dieta ( já estou nessa fase!) não quero ir para a night...Só quero namorar (muitooo), curtir meus bebezinhos e minha irmã com o bebê dela e a barrigona de 6 meses (ela está aqui comigo, passando férias) Mas ler as HQ da Maitena é minha melhor diversão de sábado à noite, pode acreditar...


Mulheres solteiras, casadas, divorciadas, encalhadas, com ou sem filhos, bem-sucedidas ou fracassadas continuam sendo as personagens anônimas e universais de Maitena. Até o cruel avanço da idade parece engraçado nos desenhos de Maitena. Ela diz que o passar dos anos traz sabedoria, pois começam a doer órgãos que você nem sabia que tinha. Você deixa de escolher o que vai pôr e começa a pensar no que tirar – pés-de-galinha, verrugas, gorduras localizadas. Aos 20 anos, você jura que nunca faria cirurgia estética, pois a idéia lhe parece um horror. Aos 30, não faria, mas entende quem faz. Aos 40, tem vontade, mas não tem coragem. Aos 50, acha que precisa e faz leves retoques. Aos 60, desesperada, você tenta se refazer inteira. E aos 70, percebe que, se era para ficar velha mesmo, teria sido melhor ficar como antes. Pelo menos você se reconheceria no espelho.
Só mesmo uma mulher para compreender as razões que movem o universo feminino. Algum homem deixaria de fazer sexo porque não se depilou? Claro que não! Deixam de sair porque não sabem o que vestir. nuncaaaa! Deixam de comer tudo para emagrecer um pouco. Nem pensar!Deixam de encontrar um amigo querido porque o namorado o odeia. hã..hã! Deixam até de usar o próprio sobrenome para usar o do marido! ha-ha-ha
A maior prova de que os quadrinhos de Maitena são universais é o fato de eles serem best-sellers em dezenas de países. Escrito originalmente em espanhol, seu texto já faz o mundo rir em francês, português, italiano, grego, catalão, alemão, holandês e, em breve, inglês; nos EUA, Maitena define como ninguém a mulher de seu tempo. Isso fica muito claro no último desenho de Mulheres alteradas 4, cujo título é "De que nós, mulheres, fomos acusadas em cada década?". Segundo a cartunista, nos anos 20, elas eram chamadas de frívolas, por querer dançar foxtrote em Paris. Nos anos 30, eram sentimentais, por sonhar com maridos românticos. Nos anos 40, eram frágeis. Nos 50, consumistas, deslumbradas com os eletrodomésticos modernos. Nos 60, eram histéricas, saíam por aí exigindo liberdade. Nos anos 70, eram as incompreendidas. Nos 80, insatisfeitas. E hoje elas são alteradas, sim, e daí? Como não se alterar diante da obrigação de ser feliz e impecável como esposa, namorada, amante, amiga, filha, mãe, profissional e dona-de-casa e sarada? É de enlouquecer! Melhor rir de tudo isso, para não explodir.

Bom final de semana!
beijos e até +
Dani.

2 comentários:

  1. Oi Dani
    Adoro ler Maitena, realmente as coisas funcionam assim!
    Ja estou na casa dos 40 hehehe... e sempre me preocupei com a minha saude e aparência. Agora alem de checar o seu blog todos os dias adoro ler os comentários, eles tbm são úteis e divertidos.
    Obrigada por essa forçaaaaaaaaa
    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Lucilha ( Brasilia)29 de outubro de 2007 23:32

    Oi Dani,
    Aqui é Lu(Brasília) e tenho lido muito os comentários dos seus amigos e tenho algumas histórias suas tambem,Posso contar?
    Bem vou contar se nao quiser postar tudo bem,
    Gente a Dani é a garota mais desastrada da face da Terra e brincalhona também, ela trabalhou comigo em Brasilia no Banco do Brasil e ODIAVA, tínhamos 22 anos na época e ela queria ser professora de educação física, mas o pai dela era o bambambam do Banco e ela acabou cedendo e indo parar em Brasilia.
    Ela todos os dias derramava o café dela na MINHA mesa, o café dos outros, e ainda colocava a culpa nos copinhos de plástico molengos.
    Ela deve ter queimado muita gente.
    Não preciso dizer que ela fez amizade com TODOS os guardas das guaritas do Banco( levavam presentes e tudo para ela) de vez em quando eu chegava na nossa sala e via a Dani lá atrás com a boina de um deles.
    A gente tinha uma amiga que não vou falar o nome, mas ela era crente, beata mesmo, usava aquelas sais compridas, aqueles sapatos com meias cor de pele até o joelho, um cabelinho grudadinho na testa, feia mesmo. E a Dani grudou na menina, já viu, né?
    Nós passamos num curso e eu e a nossa amiga que vou chamar de "lia" quisemos sair para comemorar, a Dani não estava a fim, mas aparecemos na casa dela,para empurrá-la.
    Ela concordou com uma condição, da nossa amiga que era cafona Lia sair com a roupa que ela escolhece, senão ela não iria.
    A "lia" aceitou e a Dani a levou para o Banheiro, demoraram sem brincadeira mais de duas horas e eu já estava louca lá fora, devorei a geladeira dela , acho que estava anciosa.
    Bem,
    Quando elas saíram do banheiro,a a "lia", de Nerça da capitinga virou Luma de Oliveira.
    Ela estava com escova e chapinha, sutien com enchimento, super maquiada, um vestido preto decotado e sapato alto.
    Gente, outra pessoa.
    Eu mal podia acreditar, o que uma produçãozinha nao faz por uma mulher.
    Eu fiquei "passada"
    Fomos para a night numa boate da moda, e a danada da garota estava sendo super paquerada, e a gente morrendo de rir, zoando ela.
    A Dani ficava dizendo coisas engraçadas para os caras que vinham paquerar a nossa amiga,ela dizia assim: Olha, isso tudo é photoshop, amanhã de manhã quebra o encanto hein! tô avisando...Quem avisa amigo é! hahahaha
    hahahaha
    A Dani obrigava a garota a tomar tequila e a dar uns beijinhos em um gatinho,quando vimos ela estava soltinha dançando tchá-tchá-tchá no meio da pista, rebolando até o chao, cheia de gaviões emcima dela.
    Eu a Dani estávamos passando mal de tanto rir.
    A Dani falava para mim: eu criei um monstro!
    A nossa amiga continuou crente, mas mudou seu estilo de roupas e começou a namorar o carinha mais gatinho do banco ( ela tinha 25 anos e era virgem ainda)acreditem se quiser!Nunca tinha beijado na boca, ela era um trubufú, mas depois daquele dia se arrumou, arrumou a juba, os dentes, fez dieta, hoje ela é uma mulher bonita.
    Eu ainda moro em Brasilia e tenho contato com ela, a gente fica rindo e ela diz que existem certas pessoas que passam por nossas vidas e ficam enquanto outras passam desapercebidas.
    A Dani entrou, fez o "estrago"dela foi embora e ficou para sempre ( mesmo sem saber) em nossos corações e pensamentos.
    Ela é assim, quem conhece não se esquece.
    te amo amiga.

    beijosss
    Lulu ( Brasilia)

    ResponderExcluir