terça-feira, 24 de agosto de 2010

assunto sério...

Oi menina(os),

  Eu trabalho com SAÚDE, com CORPO, com EGO.
  Ao longo desses anos, já cansei de ver e saber de histórias de disturbio alimentar, ele chega de fininho e vai enganando a gente...
  A maioria das minha alunas até hoje precisa de ajuda para emagrecer, essa palavra parece fácil de lidar, mas é extremamente complicada...Por que pode virar obsessão compulsiva e pode levar à bulimia e anorexia, um profissional precisa discernir o limiar entre o  emagrecimento saudável do aluno e quando vira exagero.
É preciso muito cuidado para a sua motivaçao, nao virar obsessao.
E isso serve tanto para as pessoas que estao emagrecendo demais quanto para aquelas que estao ficando fortes demais...Pensamentos e visões distorcidas da imagem podem gerar sequelas graves, nas meninas principalmente isso começa acontecer na adolescencia e pode se estender para a fase adulta, virando pessoas escravas do corpo, do ego, do comportamento doentil sobre comida e dietas...
Eu estava lendo essa matéria de uma menina de 11 anos e o seu relato sobre o assunto, fiquei chocada e pensativa.
Menina(os) por favor, isso nao é brincadeira, se vocês conhecem alguém com disturbio alimentar converse com o familiar desta pessoa.
beijinhoss e até +
Dani.



A paulistana Fernanda Eleutério fala sobre o drama da doença na infância. Aos 19 anos, está recuperada e é estudante de enfermagem
ALINE RIBEIRO

RECUPERADAFernanda teve anorexia aos 11 anos (foto à esq.). Hoje, com 19 (à dir.)
Eu era uma criança gordinha. Tinha menos de 1,50 metros e pesava quase 60 quilos. Na escola, me chamavam de baleia, barril... Sempre fui traumatizada com isso. As crianças têm preconceito com o diferente. Aí você mesma acaba se diferenciando dos outros, se distanciando. Me sentia invisível na infância. Eu tinha uma única amiga. Eu era gordinha e ela era muito magra. Acho que por isso nos aproximamos. Os outros colegas não conviviam com opostos.

Eu tinha 11 anos e, nas férias de janeiro, decidi que queria fazer alguma coisa para emagrecer. Meu prato passou a ficar cheio. Mas cheio de alface. No começo, meus pais pensavam: “nossa filha está fazendo regime, que coisa boa”. Quando eu perdi muito peso, começaram a ficar desesperados.

Meus pensamentos eram distorcidos. Me olhava no espelho e via uma pessoa muito gorda. Hoje consigo lembrar exatamente daquela imagem. Com uma diferença: agora eu sei que era raquítica. Além de me enxergar gorda, eu via os outros gordos. Eu assistia ao São Paulo Fashion Week e achava todas aquelas modelos esqueléticas gordas demais.

Um dia, peguei uma colher menor que de café para comer uma fruta. Eu olhava para aquela colher e via uma coisa enorme. Parecia que eu ia virar uma bola depois que comesse aquela quantidade. Comecei reduzindo as quantidades de porções. Em seguida, tirei doces e gorduras. Teve um momento que eu quase não comia.

Eu pegava livros de Biologia na escola para aprender sobre as calorias. Tinha uma tabela e eu calculava o quanto comia. Não podia passar de 200 calorias por dia. E eu já achava demais.
Um dia, a professora de Biologia pediu cada aluno fazer sua pirâmide alimentar e perguntou de quem estava invertida. Eu fui a única a levantar a mão. A minha pirâmide tinha salada na base. Carboidrato e proteína ficavam lá em cima. Sem contar que não tinha ponta. Eu nem pensava em comer açúcar e gordura.

Quando algum amigo me perguntava sobre alimentação, eu respondia na ponta da língua, como se fosse médica. Na minha vida, não conseguia aplicar nada. Esta foi a época que eu mais cozinhei na minha vida. Fazia as pessoas comerem bife a parmegiana, coisas gordurosas que eu nunca comeria. Queria ver os outros felizes.

Eu lia todas as revistas com mulheres perfeitas na capa e achava demais. Via aquelas chamadas “Emagreça 5 kg em uma semana” e lá ia eu.

Criei vários rituais. Eu precisava mastigar dois minutos cada colherada de comida. Sempre deixava alguma coisa no prato. Só fazia as refeições em horários padrões. Eu chorava quase todas as refeições. Ficava aos prantos. Parecia que tinha caído uma bomba no meu estômago. E que eu tinha engordado muito com aquilo.

Coloquei uma esteira no meu quarto para ajudar a emagrecer. Eu acordava de madrugada e, escondida dos meus pais, fazia exercícios. Não durou muito, porque eu tinha pouca força.

Fui de quase 60 kg para 27 kg em menos de seis meses. Eu quase não tinha cabelo, sentia muito frio mesmo no verão, não tinha mais força para nada. Quando o corpo se acostuma a emagrecer, não para mais. Perdi 7 kg em uma semana. 2 kg de um dia para o outro. Se eu medisse, a cintura cabia dentro das minhas mãos.

Meus batimentos cardíacos chegaram a 50 por minutos (o normal é entre 90 e 120 bpm). Tive osteopenia (perda de cálcio nos ossos). Não menstruei por um ano. Eu era amarelada e tinha aparência de 70 anos.

Eu não deixei de ir à escola, mas não tinha força para manter minha postura ereta na cadeira. Eu ficava com os braços e cabeças deitados na mesa durante toda a aula. Só conseguia ouvir o que o professor falava. Passei a ter dificuldades para caminhar. Precisava me apoiar na minha mãe, como se fosse uma bengala, para me locomover.

Meus pais procuraram ajuda. Nutricionistas, psicólogos, psiquiatras. Comecei a fazer o tratamento para ganhar peso, mas ainda não me conformava em ter de comer. Eu pensava: “minha dieta é perfeita”, “o mundo está errado”, “eles deveriam fazer como eu”.

Eu não sei por que tive a doença. Pode até nem ter sido por causa dos apelidos na escola. Acho que eu tinha predisposição. Teria anorexia de qualquer jeito.

Oito anos se passaram e algumas coisas eu ainda não como. Quando eu ganho chocolate do namorado, eu distribuo. Só comi chocolate uma vez ou outra, quando minha médica mandou.

É muito difícil se livrar dos pensamentos da doença. A nutricionista, às vezes, me diz: “eu não estou falando com a Fernanda. Agora estou falando com a doença”. Como enfermeira, eu sei tudo o que dizer sobre a doença ao paciente. Mas como paciente, ainda hoje não sei se iria escutar.

Minha nutricionista quer que eu coma mais arroz. Me diz: “Fernanda, você quer ou não quer ter alta?” Eu quero e não quero. Eles são meu apoio. Se eu fosse fazer regime de novo, eu poderia ter de novo. Eu acho que não teria limites

11 comentários:

  1. "É muito difícil se livrar dos pensamentos da doença" como foi dita essa frase da Fernada no texto. Posso dizer o mesmo. Fui balarina clásica profissional do meus 3 aos meu 15 anos tive inicio de anorexia e bulimia fazia 5 hora de ballet sem comer nada vivia no hospital tomando soro geralmente dois saquinhos, só fazia uma refeição ao dia quando comia a mais eu fazia vômito. Dos meus 15 anos para meus 18 anos sai do 52kg para 41kg sempre achei linda modelos esqueleticas. Porém um dia na dermatologista ela olhou para mim com cara de nojo e disse graça a Deus isso: nossa nunca vi uma pessoa tão magra, só assim a minha fixa caiu realmente me olhei no espelho e vi aquela menina magrinha que calça 34 tinha que aperta ou compra na sessão infantil. Então resolvi mudar fui fazer faculdade de nutrição e entrei na academia, mas ate hoje aquele pensamento me persegue. Dei a volta por cima estou com hoje 56 kg e tenho 159cm com 15% de gordura, as vezes penso sera que deixei de ser anorexica para ser vigorexica? Sou mega disciplinada na academia e com minha alimentação (tb sou nutricionista esportiva uns do motivos sempre foi ser exemplo para meus pacientes) mas quando atendo um anorexica parece que estou vivendo junto dela todo sofrimento, pois sei tudo que elas me dizem e que sentem(dificil). Sempre acho que tenho que perder uma gordurinha aqui ou ali aonde todos me olha com visão do corpo do sonhos na academia falando que eu estou doida (talvez requisios da anorexia). Ate hoje não tenho menor prazer em comer as vezes me pego aumentando minha suplementação, pq tem fases que não gosto do sabor da comida fora quando começo a comer e quando sinto que meu estomago tá cheio me dá ansia de vomito (como varias porções muito pouco). Sei o quanto é complicado reverter isso tudo... Temos mesmo que ficar atenta a isso pq nesse mundo de meninas gordinhas que vivemos hoje a tendencia disso é só aumentar.
    Bjss adoro seu blog Dani

    ResponderExcluir
  2. Oi...
    Nossa, obrigada pelo seu depoimento! Eu tive uma aluna ex-gordinha que se apoiou em mim para emagrecer, mas estava ficando cada vez mais dificil aumentar as calorias da dieta dela, eu estava ficando assustada com a rapidez em que ela estava emagrecendo e achando aquilo maravilhoso, me agradecendo todos os dias pelo corpo magro etc...Como explicar a essa pessoa que a motivaçao inicial para emagrecer, nao podia continuar e que eu precisava aumentar as calorias dela, se ela nao quisesse ficar doente ou perder a massa que já estava perdendo...
    Nossa, depois de algum tempo cada grama que ela ganhava. era como se eu fosse má profissional...ai..ai...
    Cheguei a me culpar, mas percebi que nao tinha nada haver, a única coisa que precisava era tentar ajuda-la...A menina se tratou, mas hj em dia a vigorexia assombra ela...( a mesma história que a sua) cada porcento de gordura que ela ganha e que nao é massa fica triste e me procura, ela comprou a mesma máquina que a minha de tirar body fat e medir massa magra...É incrivel, como podemos todas nós cair nessa armadilha dos pensamentos...
    eu mesma cheguei a pensar que pudesse ter vigorexia, por isso tirei umas férias ano passado de tudo, da dieta, dos treinos e me senti bem,,, quer dizer, nao tenho vigorexia.
    escrevam mais meninas, relatem suas experiências, dividem conosco.
    bjsss
    Dani Tâmega

    ResponderExcluir
  3. Dani impossível, como profissional de Ed. Física, ler todos esses depoimentos e não chorar (sério), é mto complicado perceber qd a aluna passa por essa porta do equilíbrio, pq as modificações são sutis e qd percebemos já se instalou a doença! Ajuda psicológica é essencial no tratamento, tanto da anorexia qt da vigorexia, mas qt mais profissionais envolvidos melhor! Por essa razão, por estarmos tão próximos dessas pessoas, como profissionais da Educação Física, nossa ajuda é FUNDAMENTAL!
    Queremos a felicidade de nossos alunos sempre, mas felicidade com SAÚDE!!!
    Obrigada por esse bolg lindo! No melhor sentido da palavra!
    bjus LUA

    ResponderExcluir
  4. Dani, parabéns pela iniciativa de escrever este tópico. É um assunto mto importante mas ainda tem gente que dá de ombros.
    Infelizmente nossa sociedade valoriza a magreza excessiva e todo mundo acha lindo modelos esqueléticas. O problema é que elas são modelos para as meninas e estas não tem o biotipo de esqueleto e acabam com sua saúde para tentar atingir um objetivo irreal...
    Minha irmã sofreu de anorexia e se cuida até hoje! Já faz 10 anos e ainda hoje tem que fazer terapia. Pra quem viveu de perto esta doença é revoltante ver como estas bichas do mundinho da moda ainda pedem para as modelos emagrecerem. Acho horrivel magreza excessiva, tenho nojo... Vi e vivi de perto uma pessoa quase morrer pra ficar magra.
    Acho que devemos nos cuidar e ficar em forma, sempre baseado no nosso biotipo. Valorizar nossas formas e sermos saradas e saudáveis!
    Adoro seu blog!
    bjs.

    ResponderExcluir
  5. amore

    preciso que me tire uma dúvida

    comecei a tomar o "Amino Power Plus" e na embalagem diz que é pra tomar de 2 a 4 antes e depois do treino, ai fiquei com uma dúvida danada,

    é pra eu tomar 1 antes do treino e 1 depois pra completar os dois

    ou é pra eu tomar 2 antes do treio e 2 depois do treino pra completar os quatro?

    e é pra tomar só no dia que faço musculção? ou nos dias de aeróbico tbm tomo? Pg minha rotina é assim:

    segunda: aeróbico
    terça: musculação
    quarta: aeróbico
    quinta: musculação
    sexta: musculação

    desculpe te importunar flor, é que sei que vc é expert nesses assuntos

    bjosss

    ResponderExcluir
  6. Carlinha,
    amino acido é bom tomar mesmo em dia de nao treino, vc pode tomar 2 antes e duas depois para completar as 4 cápsulas.
    bjssss

    ResponderExcluir
  7. Lua,

    O que vc disse é a mais pura verdade, precisamos estar sempre atentos e ajudar nossos alunos, porque isso vira uma bola de neve e é nosso dever alertar.
    bjsss

    Andrea,

    assim como vc, muitas de nós temos amigas ou conhecidas que sofreram com essa doença e nao sei porque parece nao ter "100% cura" pelos depoimentos que li e pelos relatos de alunas, mas se estabiliza ou vira vigorexia...
    O importante é sempre tentar ajudar essa pessoa ao máximo porque eu imagino como deve ser dificil, lutar contra os pensamentos...
    beijinhosss
    Dani

    ResponderExcluir
  8. oi dani,tbm ja tive anorexia e bulimia aos 12 anos cheguei aos 39 kilos hj tenho 25 e 60kilos estou completamente curada. mais foi uma fase mto dificil,hj não consigo me lembrar como tudo começou so sei q fiquei mto mal.Fiz tratamento e reaprendi a comer...Acho otimo vc alertar a galera pq qdo ve ja esta doente, e vc nem percebe.Hj me´preocupe sim com meu corpo,mais sou saudavel. bjs

    ResponderExcluir
  9. dani adorei seu blog me manda seu orkut pelo meu email! lela14@gmail.com ( estou pra começar a malahr e quero me espelhar em alguém ) bjuss por favor me mande o email

    ResponderExcluir
  10. Oi...
    eu nao sei em qual post está o comentário em a menina me pergunta o que tomar para perder peso...
    mas vou responder aqui...
    a única coisa que queima a gordura é oxigênio, ele é o único remédio poderoso para isso, por isso temos que mandar ver no aerobico, o que ajuda e muito é a ingestao de menos calorias por dia...
    daí, a partir disso pode incrementar com suplementos como o CLA.
    O Whey nao é necessário para esse fim, porque ele é proteina em pó para tomar depois da musculaçao, isso ajuda a ganhar musculos.
    a musculaçao queima calorias, dá tonus e firmeza.
    o cardio queima calorias
    comer menos calorias emagrece...
    vamo que vamo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Dani linda, tudo bem? espero que sim, preciso muito da sua ajuda, muito mesmo.
    Eu treino ja faz um tempo, mas parece que não saio do lugar, preciso emagrecer, tenho 1,60 e 64 kilos, aparentemente eu não sou gorda, como eu faço musculação então acho que é por isso, eu controlo minha alimentação, faço aerobico prático musculação, e eu não saio do lugar... não consigo emagrecer!!!!!! eu ja fiz a dieta ciclica, prá eu fazer dieta é fácil, ja fiz de todos os tipos, mas não rola, tomo oleo de cartamo puro em jejum, como um carboidrato com uma proteina, depois uma fruta, almoço salada e grelhado (adoro) outra fruta e as vezes uma torrada, vou malhar, no jantar, tomo um scoop de whey isolado um grelhado, salada ou omelete de clara, basicamente é isso... parei de gastar, me ajude por favor!!!! as pessoas dizem que eu sou encanada, mas eu faço e faço e não mudo, beijos muito obrigada

    ResponderExcluir