sábado, 2 de abril de 2011

Minha aluna Carol Casemiro PARABÉNS!







 Oi menina(os),
  Nossa quanto orgulho da minha amiga e aluna Carol
 Casemiro, acabou de ter um neném lindo o Keanu
 e foi para a final da competição de Bodyboard em Pipeline
  Fizemos um treinamento funcional e depois expliquei as
 séries para ela fazer sozinha.,
 Estou muito feliz queria dividir com vocês. 
.


Mamãe bodyboarder 

volta a competir e 

faz final nas ondas de Pipeline


Ainda lutando contra a balança, brasileira Carol Casemiro leva o filho de sete meses para a praia e fica em quarto lugar na etapa do circuito americano

Por Gabriele LombaRio de Janeiro
Bodyboard Carol Casemiro Pipeline Pro (Foto: Divulgação)Logo após a final, Carol Casemiro abraça o
filho, Keanu (Foto: Claudia Ferrari/Divulgação)
Há sete anos, Carolina Casemiro deixou Bertioga (SP) e foi morar no Havaí. Entre faxinas em casas de família, alimentava o sonho de morar no paraíso do surfe e do bodyboard. No ano passado, realizou outro: o de ser mãe. Neste sábado, com o pequeno Keanu na areia, conseguiu mais um. Chegou à final do Pipeline Pro, sua primeira competição desde o nascimento do filho, de sete meses.
- Estou toda dolorida. Parece que passou um caminhão em cima de mim - brincou.
Carol está com 28 anos. Voltou a treinar há menos de dois meses e contou com a ajuda de Danielle, esposa do hexacampeão mundial Guilherme Tâmega. Ela preparou uma série de musculação especial para que a bodyboarder aguentasse enfrentar as ondas de Pipe. Pouco antes de Keanu nascer, Carol estava pesando 84kg. Perdeu 14kg e sonha voltar aos 58kg.
Bodyboard Carol Casemiro Pipeline Pro (Foto: Divulgação)Carol na final em Pipeline (Foto: Claudia Ferrari)
- Só posso surfar quando minhas amigas olham o bebê para mim ou quando meu marido, policial, está de folga. Mesmo assim tem que ser rápido porque o Keanu ainda mama no peito.

Em 2005, Carol tinha conseguido façanha parecida no bodyboard. Na época ainda conciliando o surfe com as faxinas, elavenceu a etapa havaiana em Honolua Bay, em Maui.
Na final da etapa de Pipeline, válida pelo circuito americano, ficou atrás da campeã mundial Karla Costa Taylor, primeira colocada, de Claudia Ferrari e da japonesa Aoi Koike. Levou Keanu para o pódio.
Acho que Deus falou: “Coitada dessa aí. Vou dar umas ondas boas para ela”."
Carol
- Nem dormi na noite anterior. Minha primeira bateria foi contra a Aoi, que sempre faz final em Pipeline, e a Leila Ali, big rider. Pensava que iria me afogar. Mas acho que Deus falou: “Coitada dessa aí. Vou dar umas ondas boas para ela” - conta, rindo.

Carol hoje não faz mais faxinas. Cuida de Keanu e estuda em uma escola de massagem. Para se tornar massagista, ainda precisa fazer um exame de anatomia, ainda sem data marcada. O único plano certo é uma viagem ao Brasil. Ela irá a Bertioga em maio e, no fim do mês, disputará uma etapa do Brasileiro em Búzios.
- Empolguei, né? – conta, rindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário