terça-feira, 3 de outubro de 2017

dia 4 - e o desafio continua.....


Oioioi Bacanudas,

Bom dia...

Estou gostando de ver a disciplina de vocês nesses primeiros dias, o que eu quero é que essa garra continue...independente de qualquer coisa.
Para isso o DESAFIO de hoje será, além do dia ATIVO e divertido ( correr, andar, bike, outdoor, patins etc...) e o ABS eu quero que no final do dia vocês escrevam em um diário.
Sim, vocês terão uma diário, deem um nome para ele...
Na verdade é uma forma de meditar, quem já viu meu stories sabe que eu faço meditação escrita porque tenho deficit de atenção, se eu fechar os olhos começo a pensar no que tenho que fazer e vou ficando agoniada...Então o melhor jeito de meditar foi escrevendo e pensando no que preciso pensar realmente...Meus sentimentos, dificuldades e como pretendo contornar, gratidão etc...etc...

Neste caderno teremos algumas sessões:

sessão 1
elogio...
Sim, você irá VER, ENXERGAR o que há de melhor em você...
todo dia UMA coisa...

exemplo:  EU  QUE EU TENHO  DE BONITO É : pele, minha pele é linda mesmo, cuido com amor e mereço tê-la.
ou,
EU QUE EU TENHO DE BONITO É : a boca, minha boca é desenhada e meu marido / namorado adora...

sessão 2
critica...

EU PRECISO MELHOR EM....preciso melhorar minha paciência
O QUE EU TENTAREI FAZER? tentarei o máximo repensar antes de explodir...

ou,
Preciso melhorar minhas vontade de comer doca
o que eu tentarei é tomar o picolinato de cromo e colocar um chiclete embaixo da língua...porque o sabor vem rápido e meu cérebro pensará que estou comendo doces...


Ok...

Vamos conversar sobre alimentos ácidos e alcalinos...


Nossos fluidos corporais são dotados de pH, que é medido numa escala de 0 a 14 – onde abaixo de 7 é considerado ácido, e acima de 7 é considerado alcalino. Para manter o corpo saudável e livre de doenças, é essencial manter o pH corporal equilibrado, ou predominantemente alcalino (em média, 7,4 é o indicado pelos especialistas). Quando chega a menos de 6,8 ou a mais de 7,8, as células param de funcionar e o corpo vai a óbito – diante desse risco, nosso organismo está sempre trabalhando para equilibrar o pH.
O QUE DEIXA O PH ÁCIDO
Quando o pH corporal está abaixo de 7, o organismo entra em desequilíbrio e fica suscetível a danos severos e prolongados. Mas por quais razões o corpo se torna ácido?
A alimentação exerce grande influência nos níveis de equilíbrio do nosso pH corporal. Sendo assim, a ingestão de alimentos acidificantes contribui para a obtenção de um pH predominantemente ácido – mas aqui ocorre um erro comum: alimentos acidificantes não são necessariamente aqueles que possuem sabor ácido. A laranja, por exemplo, é ácida ao paladar mas, dentro do organismo, sua ação é alcalinizante – o efeito está relacionado com o resíduo orgânico que restará no corpo após a digestão do alimento.
Os alimentos que mais acidificam o corpo são os que contêm álcool, cafeína, açúcar refinado – bons exemplos são os refrigerantes e as frituras de todos os tipos. Carnes, ovos, leites e derivados, vistos como opções saudáveis pela grande maioria da população, também são predominantemente acidificantes, e devem ser consumidos com moderação.
Para conseguir o equilíbrio adequado do pH corporal, recomenda-se uma nutrição composta 75% por alimentos alcalinizantes, e 25% por alimentos acidificantes – sempre considerando que cada organismo tem suas particularidades: para alguns corpos, a alimentação pode precisar ser até 90% composta por alimentos alcalinizantes para obter um equilíbrio ideal do pH.
RISCOS DO PH ÁCIDO
Uma dieta rica em cafeína, açúcar, proteínas e processados contribui efetivamente para a acidificação do corpo – e esse processo representa verdadeiros riscos para a saúde.
A predominância ácida no pH do organismo pode levar ao desenvolvimento de doenças crônicas e degenerativas – e o pior: pode propiciar o surgimento destes quadros de maneira silenciosa, fazendo com que o indivíduo tenha ciência do quadro somente quando já está em estágio avançado. Isso porque o corpo está sempre trabalhando para equilibrar o pH e, ao detectar uma predominância ácida, começa a retirar minerais com propriedades alcalinizantes dos ossos e dos órgãos vitais, para neutralizar a acidez excessiva e prejudicial ao organismo.
O problema é que esse mecanismo demanda muito esforço do corpo, abrindo margem para as doenças crônicas e degenerativas. Por isso, a melhor opção é investir no equilíbrio bioquímico através da nutrição – para poupar o corpo de realizar tais compensações.
Além disso, o excesso de acidez provoca uma desregulação geral do organismo, que pode se manifestar em forma de fadiga constante, fragilidade das unhas, queda de cabelos, diminuição do entusiasmo, (abrindo precedentes para transtornos de ansiedade, depressão, pânico), irritabilidade aumentada, dores de cabeça frequentes e problemas menstruais.
IMPORTÂNCIA DO PH ALCALINO
Quando o corpo está com o pH predominantemente alcalino, conquistamos um organismo em pleno funcionamento: os principais benefícios se mostram em forma de sistema imunológico poderoso e de metabolismo turbinado – esta combinação de fatores, por si só, já é garantia de saúde e disposição.
Mas os benefícios vão muito além: o corpo alcalino combate radicais livres, preservando as células saudáveis e prevenindo contra o envelhecimento precoce. Também melhora a densidade óssea, o equilíbrio de nitrogênio e o ganho muscular. A dieta alcalina diminui o acúmulo de flatulência e minimiza episódios de distensão do abdômen, e ainda equilibra as taxas de glicose no sangue (sendo recomendada para o tratamento de diabetes).
O QUE DEIXA O PH ALCALINO
Para equilibrar a bioquímica do sangue de forma natural, invista numa alimentação baseada em alimentos alcalinizantes. Os principais alimentos recomendados para essa finalidade são:
Frutas in natura ou secas (destaque para melancia e açaí);
Legumes e verduras, com ênfase para folhas verdes, quiabo, chuchu, abobrinha;
Amêndoas e pistaches;
Batata, mandioca, inhame (cozidos, não fritos);
Chá verde e muita água.
Então...

Sempre que puderem sugiro colocarem pelo menos 2 desses alimentos MUITO ALCALINOS durante o dia...







A Bacanuda de hoje que merece e muitooo estrelinhas é.....



Achei incrível esse vídeo...
Ela DETERMINADA a enfrentar a tentação do chocolate...
Parabéns, Carol é assim que começamos a mudar nossa mente...é a gente quem manda nela.
As crianças não precisam ficar sem os doces, os maridos podem comer e beber a cerveja deles se quiserem, a vizinha pode trazer bolo, a sogra pode quitutes etc...Mas quando estamos no FOCO, quando tomamos a DECISÃO FINAL, nada nos detém...
Somos uma leoa.
sai da minha frente, eu vou conseguir,,,
é uma fase, uma simples fase da minha vida..
Eu vou ter meu dia na semana onde poderei saborear em família um prato fora da dieta, ele ajudará no meu hormônio da leptina É um hormônio peptídico, formado por 167 aminoácidos. Esse hormônio é produzido nos adipócitos e age no hipotálamo diminuindo o apetite, aumentando o gasto energético, regulando a função neuroendócrina e atuando no metabolismo da glicose e lipídeos.
Como é produzida pelo tecido adiposo, quanto maior a gordura corporal, maior será a quantidade de leptina. Enfim, quando seus níveis estão altos, a ingestão alimentar diminui e quando seus níveis estão baixos induzem ao consumo em excesso de alimentos.
Apesar de em obesos existir uma alta concentração de leptina, esses indivíduos ainda têm um grande apetite. Isso acontece porque a maioria das pessoas com obesidade apresenta resistência à leptina graças a menor quantidade de receptores desse hormônio no sistema nervoso central, assim sendo, as células do hipotálamo não recebem os sinais da leptina para reduzir a alimentação.
Grelina: É um hormônio produzido especialmente pelas células do estomago. Ele também atua no hipotálamo e ao contrário da leptina, estimula o apetite, além de estimular a liberação do hormônio do crescimento (GH) e controlar o balanço energético. Pesquisas em roedores mostraram que a ingestão alimentar foi incentivada pela elevada concentração de grelina, o que levou à obesidade justamente devido a esse aumento na ingestão alimentar. Estudos mostraram também que após ingerir alimentos, a concentração de grelina não diminuiu em obesos, causando um aumento do consumo alimentar.






Nenhum comentário:

Postar um comentário