sábado, 25 de agosto de 2018

Coletes frios podem realmente ajudar a queimar gordura?



Coletes frios podem realmente ajudar a queimar gordura?

Matéria : Laura Willians  
Redefinida por : Dani Tâmega


Oioioi...

Outro dia cheguei em casa e dei de cara com o Guilherme dentro da banheira coberto até o pescoço com gelo...
Ele ficou ali 4 minutos, e foi o suficiente para tremer de um jeito que eu me assustei...e ele dizia: Está tudo bem, só preciso me esquentar agora...






Eu, jamais faria aquilo...
Entrar numa banheira com gelo ou crioterapia para acelerar o meu metabolismo, odeio frio..
Mas se tivesse alguma outra forma menos brutal eu até experimentaria...


 Coletes frios podem realmente queimar gordura?


A relação entre a exposição ao frio e o aumento da queima de calorias não é exatamente uma novidade. Ouvi pela primeira vez sobre bodybuilders baixando seus termostatos domésticos para aumentar seu metabolismo no início dos anos 2000. Mesmo naquela época, o conceito não era novo.

Agora é um fato aceito que "ambientes frios aumentam significativamente o metabolismo durante o repouso e o exercício ... A taxa metabólica pode aumentar até cinco vezes em repouso durante o estresse extremo porque os tremores geram calor corporal para manter uma temperatura central estável".

Quando você está com frio, você estremece. E quando você treme, você queima calorias. Mas você realmente tem que congelar  para obter os benefícios de aumentar artificialmente seu metabolismo?

Não exatamente. Os pesquisadores agora estão percebendo que mesmo pequenas reduções na temperatura ambiente podem ajudar seu corpo a gerar calor, encorajando-o a formar tecido adiposo marrom ou brown adipose tissue (BAT). BAT é um tipo específico de tecido adiposo que ajuda a mantê-lo aquecido pela queima de gordura a uma taxa elevada.  Sim, você leu certo: BAT é gordura que queima gordura. Então a questão é: como você pode estimular seu corpo a produzir mais desse tecido metabolicamente ativo?

Essas revelações recentes levaram a uma onda de novas pesquisas que investigam o efeito da exposição moderada ao frio no metabolismo e, potencialmente, na obesidade.



Laura Willians nos testes do colete...


A moda da exposição ao frio

Parece que todo mundo conhece alguém que está usando exposição ao frio seja para retirar dores musculares ou acelerar o processo para um físico mais magro.
Muitos anos atrás eu pedi para as bacanudas do tubinho tomarem banho frio...Eu já sabia que de alguma forma aquilo podia ajudar...

Métodos popularizados pelo livro de Timothy Ferriss, The 4-Hour Body, incluem beber água gelada, tomar banhos gelados ou, andar de short e camiseta em dias frios, mergulhando seu corpo em pacotes de gelo, deixando cair o termostato de sua casa.

Eu vi um documentário onde o pesquisar dizia aumentar a imunidade e fazia loucuras como nadar em lagos com gelo no inverno...Muita maluquice para mim.

Francamente, tudo soa muito infeliz para mim - além disso, não há muita pesquisa específica para apoiar qualquer método para aumentar a perda de gordura. Mas indícios positivos de defensores como Ferriss e o ex-pesquisador da NASA, Ray Cronise, são certamente intrigantes. Se eles juram que a exposição ao frio é uma maneira de aumentar o metabolismo, talvez valha a pena um outro olhar.

Coletes frios: e a ciência.



O interesse contínuo na exposição ao frio levou ao desenvolvimento de coletes frios. Esses coletes são basicamente suportes para blocos de gelo que, ao contrário dos banhos de gelo, resfriam seu corpo, dando a você a liberdade de se movimentar e se envolver em outras atividades.

Supõe-se que os coletes sejam relativamente toleráveis ​​porque têm como alvo partes do corpo menos sensíveis ao frio; os ombros, peito e braços. A idéia é diminuir a sua temperatura, mas não tanto que você estremeça.

Mas eles realmente funcionam?
Ou é mais um ítem da indústria do fitness querendo lucrar com o nosso desespero em emagrecer sem muito esforço?





Laura Willians entrou em contato com Wayne Hayes, Ph.D., um cientista da NASA e inventor do colete de gelo da Cold Shoulder, para ver se ele permitiria que ela pudesse testar seu produto. Ele estava mais do que disposto, mas avisou para não esperar milagres. Ele disse que eu não veria um efeito imediato na taxa metabólica de repouso dela até que usasse o colete regularmente por semanas.

Não existe milagre nem nas coisas fáceis né...


Pesquisadores medem o efeito do frio na taxa metabólica com o teste do gasto energético de repouso (REE). É bem simples: depois de jejuar por 12 horas e evitar exercícios por 24 horas, você simplesmente fica deitado em um quarto escuro por 20 minutos com uma grande cápsula de plástico posicionada acima da cabeça.




Enquanto você está deitado, o ar que você expira é capturado pela cápsula e analisado para determinar que tipo de macronutriente você está queimando para energia naquele momento. Esta informação - juntamente com o volume total de ar que você está consumindo e informações gerais sobre altura, peso, sexo e idade - permite aos pesquisadores estimar o número de calorias que seu corpo queimaria se você permanecesse nessa posição por 24 horas seguidas. .



No laboratório

Depois de 20 minutos os resultados de REE mostraram que a taxa metabólica atual era de cerca de 1.716 calorias nas próximas 24 horas.

Em seguida, Laura usou o colete Cold Shoulder do  do laboratório por cerca de 10 minutos para deixar o corpo frio e continuar com  o teste. Depois de outra sessão de 20 minutos sob a cápsula de plástico - desta vez com o colete frio - os resultados da ETR mostraram  1.768 calorias nas próximas 24 horas.

Os resultados faziam sentido: ela estava com mais frio, então o corpo estava trabalhando mais duro para manter uma temperatura central estável. Mas o resultado foi decepcionante. Sim, ela poderia perder 50 calorias por dia - tudo que teria que fazer era manter o colete frio o dia todo.


A pesquisa deixa questões

Enquanto viajava pelo buraco de pesquisa para este artigo, me deparei com um estudo particularmente interessante feito por pesquisadores da Virginia Commonwealth University. Eles tiveram cinco jovens vivendo em uma unidade de pesquisa com temperatura controlada por quatro meses consecutivos. Durante o primeiro e terceiro mês, os pesquisadores mantiveram a temperatura de 75 graus Fahrenheit. Para o segundo mês, eles baixaram a temperatura para 66 graus F. Durante o quarto mês, eles aumentaram para 81 graus F. Durante os quatro meses, todas as refeições dos sujeitos foram controladas e monitoradas as calorias, e a cada mês os jovens homens passaram por uma bateria de testes.

Os homens foram expostos a essas temperaturas por pelo menos 10 horas por dia. Quando dormiam, usavam roupas hospitalares comuns com um lençol para cobrir. Isso significava que durante o segundo mês, quando a unidade de pesquisa era mantida a 66 graus, eles não podiam usar cobertores ou roupas para se manterem aquecidos.



Depois desse segundo mês, os pesquisadores descobriram que os homens tiveram um aumento de 42% no volume de BAT e um aumento de 10% no metabolismo da gordura. Isso mostrou que eles estavam queimando mais gordura depois de um mês a 66 graus do que em temperaturas mais altas. Eles também experimentaram melhor sensibilidade à insulina pós-refeição e mudanças positivas em seus hormônios metabólicos, incluindo leptina e adiponectina.

Todos estes foram resultados positivos. Mas os pesquisadores também descobriram que, apesar do aumento do metabolismo da gordura, os homens não experimentaram mudanças duradouras na composição corporal após o mês de exposição ao frio. Quando as temperaturas voltaram ao normal, o BAT dos homens e o metabolismo da gordura voltaram aos mesmos níveis de antes da exposição ao frio.

Portanto, a boa notícia é que a exposição prolongada ao frio pode aumentar suas reservas de tecido adiposo marrom - a gordura que queima gordura. Assim como a dieta e o exercício, a exposição ao frio pode ajudar você a atingir metas de peso. Você só precisa estar pronto para passar muitos dias e meses nunca realmente sentindo calor.


Bem,
Na minha opinião...
Nem quando o ar condicionado da academia está ligado eu gosto...Se dependesse de sentir frio para emagrecer, eu seria gordinha com muito orgulho!
Continuo com a opinião de que, se a gente cria hábitos bons a mágica acontece...Se você consegue tomar um frio no inverno ou dormir no pólo Norte a noite...ok! Isso pode até ajudar...
Mas fazer dieta e ter consistência nos treinos é primordial...

beijos e até +
Dani ;)



Nenhum comentário:

Postar um comentário